Enriquecimento Ambiental para Cães

O que seu cão faz enquanto você está fora?

Já assistiu a vida secreta dos bichos? Adoraríamos que a vida dos peludos fosse assim emocionante em casa, né? Mas na maior parte das vezes nossos peludos esperam que cheguemos em casa. E nessa espera tem duas opções: não faz nada, e fica com tédio. Arruma o que fazer, e isso acaba destruindo as coisas. E como não gostamos de nenhuma dessas opções pro seu peludo, queremos compartilhar o tema de hoje.

Um peludo estimulado e pleno

Origem
Parece um tópico novo no mundo pet, mas nasceu no começo do século passado como uma maneira de trazer bem estar para animais em cativeiro. 
Na natureza os animais tem que procurar os alimentos, evitar predadores, buscar parceiros, interagir com o ambiente em constante mudança e outros animais. Eles têm uma vida cheia de desafios, e isso leva a um comportamento flexível. Usar todos os sentidos, interagir, aprender, competir, ser estimulado gera bem estar para os animais! Mas, os animais em cativeiro (ou em casa) recebem a comida pronta, são “protegidos” de outros animais, não precisam competir entre si, têm parceiros escolhidos, não precisam solucionar problemas ou se preparar pra imprevistos ou mudanças do ambiente. Isso é proteção e conforto, mas também gera falta de desafios e estímulos positivos. 
Se a gente pensa no nome enriquecimento, já fica a dica: o dia a dia dos animais está empobrecido… não tem muito o que fazer, sobre o que pensar. Isso pode melhorar. Não? Muitos animais domésticos sofrem com falta de atenção e interesse pelo ambiente, que gera problemas comportamentais e mal estar. Por isso o Enriquecimento Ambiental é cada vez mais procurado e aplicado. 
O que é? 
É o estímulo do cérebro do animal através do ambiente físico e social. Como? Por uma série de procedimentos que modificam o espaço ou socialização, satisfazendo as necessidades comportamentais deles. Ou seja: melhor qualidade de vida, maior bem estar psicológico, físico e emocional! 
O que ele faz?
Estimula a mente e o corpo
Dá ao animal controle sobre o ambiente
Dá ao peludo oportunidade de escolher 
E isso… 
Melhora a saúde e o bem estar!
Reduz estresse e comportamentos anormais
Desenvolve as habilidades cognitivas (inteligência)
Ajuda na educação e convivência
Tipos 
Tem duas abordagens para o Enriquecimento ambiental. Uma delas tenta fazer o ambiente o mais parecido possível com a Natureza. A outra tenta estimular os animais com brinquedos, máquinas e outras coisas que humanos inventaram. E dá pra juntar ambas! O importante é manter o efeito novidade… se for sempre os mesmos estímulos, deixa de ser estimulante e vira algo esperado. 
Há alguns tipos de estímulos. O Social, que trata da interação com outros animais; Alimentar, que procura lembrar atividades de caça ou busca de alimentos para que o animal se esforce e gaste energia; Ambiental, que deixa o espaço mais estimulante, com mais variedade e possibilidades de explorar e brincar (muito legal para gatos, por exemplo, com prateleiras e mobília de trepar). O Cognitivo, que estimula a curiosidade, a inteligência, solução de problemas; e o Sensorial, que estimula com cheiros, sabores e texturas distintas. Separamos algumas dicas para seu dia a dia:  

Dicas práticas

Pode usar a criatividade para estes estímulos! Parece maldade dar mais “trabalho”pro bichinho, mas eles adoram desafios e precisam ser estimulados! Alguns exemplos:
  • Espalhar ração e petisco pela casa (limpa) em lugares mais fáceis e difíceis - como uma caça de ovinho de páscoa. Cães são onívoros e costumavam procurar frutinhas e outros alimentos no ambiente, além de caçar. É uma alegria cheirar tudo pela casa!
  • Enrolar ração ou petisco em um pano de prato, para que ele precise desenrolar com o focinho antes de comer.
  • Colocar ração em uma garrafa pet com furos para que ele precise brincar com ela pra tirar a ração.
  • Esconder a ração em caixa de papelão para que ele abra e coma
  • Usar comedouros interativos como as bolas, os kongs, as bonequinhas. Cada comedouro tem um objetivo. É importante que estes brinquedos de comer sejam usados só na refeição, não fiquem à disposição para morder. 
  • Congelar algo que ele gosta e oferecer num cubo de gelo, em dias quentes. 
  • Oferecer brinquedos de texturas e durezas diferentes, como borracha macia, nylon duro, corda, lisos, com ranhuras, com bolinhas e cerdas. E deixe destruir! É para isso mesmo que o brinquedo existe, para focar essa energia e expressar comportamentos naturais como morder, lamber, raspar, usar a boca e estimular a curiosidade. 
O que você tem a ganhar com isso? A tranquilidade no olhar de quem proporcionou ao seu peludo um dia divertido e rico como o seu! Isso melhora a saúde e felicidade de ambos, o comportamento dele, e o relacionamento de vocês! 

Você também pode gostar